quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Quaresma: Tempo de Conversão e Vida Nova


A Quaresma é tempo de conversão, do retorno para quem se acha longe de Deus. A Quaresma nos oferece especial oportunidade para uma renovação profunda na prática da reconciliação e da comunhão. A participação na Eucaristia, celebrada, vivida, adorada, sobretudo em circunstâncias interiores e exteriores de abertura frutificará em uma vida evangélica.
 Quando se participa da Penitência com as disposições de contrição e de bom propósito produzirá na vida espiritual uma sensibilidade maior à ação santificadora do Espírito de Deus, força contra o espírito do mal e forte determinação em seguir Jesus.
Neste tempo litúrgico que a Igreja nos oferece, fazemos memória dos 40 anos do povo de Deus no deserto e revivemos os 40 dias de deserto de Jesus preparando-se para a sua missão. O deserto é o lugar do silêncio, da oração, do vazio para deixar lugar para Deus, dando-lhe liberdade para agir e operar. É também o lugar da prova, da tentação, da luta espiritual, uma verdadeira acadêmica de exercitação do atleta de Deus que deve robustecer sua vontade, humilhar seu coração e sua mente, a fim de que o retorno ao Senhor aconteça de modo progressivo, fecundo, verdadeiro. Trata-se de um tempo de treinamento o que exigirá renúncia e esforço (cf. Cl 1,24-28; 1Cor 9, 24-27).
Conheça o significado da Quaresma
Chama-se Quaresma os 40 dias de jejum e penitência que precedem à festa da Páscoa. Essa preparação existe desde o tempo dos Apóstolos, que limitaram sua duração à 40 dias em memória do jejum de Jesus Cristo no deserto. Durante esse tempo a Igreja veste seus ministros com paramentos de cor roxa e suprime os cânticos de alegria: O "Glória", o "Aleluia" e o "Te Deum". 
Na Quaresma, que começa na quarta-feira de cinzas e termina no domingo de ramos, os católicos realizam a preparação para a Páscoa. O período é reservado para a reflexão e à conversão espiritual. Ou seja, o católico deve se aproximar de Deus visando o crescimento espiritual. Nesse tempo santo, a Igreja católica propõe, por meio do Evangelho proclamado na quarta-feira de cinzas, três grandes linhas de ação: a oração, a penitência e a caridade. 
Essencialmente, o período é um retiro espiritual voltado à reflexão, onde os cristãos se recolhem em oração e penitência para preparar o espírito para a acolhida do Cristo Vivo, Ressuscitado no Domingo de Páscoa. 
Assim, retomando questões espirituais, simbolicamente o cristão está renascendo, como Cristo. 
A quarta-feira de cinzas é o primeiro dia da Quaresma no calendário cristão ocidental. As cinzas que os cristãos católicos recebem neste dia é um símbolo para a reflexão sobre o dever da conversão, da mudança de vida, recordando a passageira, transitória, efêmera fragilidade da vida humana, sujeita à morte.

O posicionamento da quaresma varia a cada ano, dependendo da data da Páscoa. A data pode variar do começo de fevereiro até à segunda semana de março, neste ano começa no dia 13 de Fevereiro.
Alguns cristãos tratam a quarta-feira de cinzas como um dia para se lembrar a mortalidade da própria mortalidade. Missas são realizadas tradicionalmente nesse dia nas quais os participantes são abençoados com cinzas pelo padre que preside à cerimônia. O padre marca a testa de cada celebrante com cinzas, deixando uma marca que o cristão normalmente deixa em sua testa até ao pôr do sol, antes de lavá-la. Esse simbolismo relembra a antiga tradição do Médio Oriente de jogar cinzas sobre a cabeça como símbolo de arrependimento perante Deus (como relatado diversas vezes na Bíblia). No Catolicismo Romano é um dia de jejum e abstinência.

Fonte: Revista Divino Oleiro





Nenhum comentário:

Postar um comentário